A Dois Rumos não tá na pista, mas tá ON!

São Paulo, 01 de Setembro de 2021

Texto por: Amanda Mota e Fernanda Conde


Durante esse ano demos um jeitinho de seguir com nossos estudos e criações, dentro do que era possível pra realidade atual, e não faltou movimento por aqui.


Nossos ensaios tem "ultrapassado" as telas para manter nossa conexão e novas oportunidades foram surgindo em meio às trocas.


Conversa, experimenta, escreve, traz por corpo... e assim fomos vasculhando nossos interiores e convidando nossas próprias histórias para dançar com a gente. E você, aceita entrar nessa dança?


Em um processo de amadurecimento e experimentação dessas criações, estamos trazendo-as para o mundo. Serão 5 oficinas online, todas organizadas por integrantes da Dois Rumos, que agora serão compartilhadas com o público.


Dá só uma olhada nessa programação TOTALMENTE ONLINE:


Foto: Isabela Alves (2018)

06/09/21 (Segunda) - 20h às 21h30

Mediação: Iris Rana e Tony Rubinho.

Título: Um olhar mais generoso para Si.

Sinopse: Quão generoso você é com seu corpo? Incômodos físicos podem ser uma caixinha que limita o potencial corporal. A oficina propõe desconstruir o passo básico do zouk (“caminhada”) e oferecer uma construção consciente para quem dança, a fim de encontrar um corpo mais generoso consigo (e com o outro).


A dupla facilitadora diz que "é comum que as estruturas da dança de salão sejam apenas focadas na reprodução, um “copia e cola” que pode afetar a criatividade de quem dança e podar potências e particularidades. Ao explorar as possibilidades de movimentos articulares (dos pés, pernas, joelhos e quadril) que o Zouk possibilita, percebe-se uma independência física e criativa notável, e é exatamente por este motivo que o caminho da generosidade na dança é buscado aqui."


Iris e Tony ainda nos contam que "essa oficina tem por objetivo repensar os movimentos do zouk (passo básico), de forma mais generosa e livre, desconstruir esta base e investigar o corpo, a fim de deixar cada movimentação mais singular e consciente. O que seu corpo guarda? Quais são suas travas? Esses e outros questionamentos estimulantes serão utilizados nessa exploração curiosa."


Foto: Carla Durante

08/09/21 (Quarta) - 20h às 21h30

Mediação: Amanda Mota e Camila Aguiar.

Título: Águas de mim.

Sinopse: E se eu falar que todo mundo já dança desde antes de nascer? Observar, experimentar, deixar fluir! A oficina traz a possibilidade de revisitar movimentos que seu corpo já conheceu e se apropriar deles para enriquecer a dança, com um elemento surpresa que vai nos ajudar a transbordar nossas sensações


As facilitadoras Amanda e Camila acrescentam que tem por objetivo "explorar os corpos que se esqueceram de como é bom ter um corpo que dança livre como quando criança, mostrando recursos que podem ser usados para ganhar mais repertório, criatividade e fluidez em uma dança com mais consciência, explorando as possibilidades vindas da troca com o outro e da troca com si próprio, sempre respeitando a bagagem de cada corpo."


Legal né?! O mais maravilhoso é que a próxima oficina dá seguimento ao assunto... Vem com a gente!


Foto: Cassio Conde (2019)

10/09/21 (Sexta) - 20h às 21h30

Mediação: Andressa Malerba e Diogo Silva.

Título: Qual o lugar da brincadeira nas danças a dois?

Sinopse: A brincadeira está presente nas danças de salão? A brincadeira é uma linguagem apenas da infância? Com reflexões, compartilhamento de histórias de vida e dinâmicas de dança, vamos propor um resgate da brincadeira como linguagem humana, e questionar qual o espaço da brincadeira nas danças a dois.


Andressa e Diogo nos encantam profundamente quando falam das suas motivações ao elaborar essa oficina:

"A dança de salão oferece códigos e passos de dança formatados, para reprodução coletiva/universal de movimentações que os diferentes corpos devem adequar-se para dançar a dois, reproduzindo o “jeito certo” de dançar, muitas vezes como um desafio exaustivo e desconfortável para a diversidade de corpos que existem. Em nossas pesquisas podemos nos comunicar através da linguagem corporal e ampliamos possibilidades de diálogos. Nesse sentido, vamos explorar como a linguagem da brincadeira está para a dança de salão, possibilitando a construção de novos movimentos, onde diferentes corpos, com diferentes histórias, podem construir seus próprios “códigos” ou “passos de dança” brincando. A brincadeira alimenta a criação, permite o erro e constrói um espaço de conexão através de memórias corporais e afetivas. "


Aff, que lindo! Mas calma que não acabou, na semana seguinte a gente segue com LIBRAS e um pouco da História do Samba nas oficinas que encerram o ciclo...


Foto: Montagem com imagens da internet

14/09/21 (Terça) - 20h às 21h30

Mediação: Denize Angelica e Kelly Poli.

Título: Fazendo Cena.

Sinopse: Libras e Dança de Salão tem combinação? Através de exercícios lúdicos e da expressividade da Língua Brasileira de Sinais, a oficina propõe caminhos de investigação da interpretação, ampliando as possibilidades de movimento e comunicação na dança.


Denize e Kelly falam de pontos importantes ao desenvolverem esta pesquisa/oficina:

"Percebemos, em nossa própria jornada como pessoas que dançam danças de salão, como a expressividade corporal em sua totalidade não é explorada nas aulas. Geralmente há pouco trabalho com movimentos expansivos e quando há, eles partem apenas dos pés, pernas e tronco. Observando e vivendo esta realidade, percebemos o quão grandioso é inserir, no ensino regular destes ritmos, propostas que nos levem a dançar com os olhos, com as feições, com os sentimentos, com braços e mãos. Por isso, buscamos na Linguagem Brasileira de Sinais - LIBRAS, influências para compor este corpo interpretativo, brincante, comunicante, ampliando as possibilidades de dançar a dois, mas principalmente, de dançar a um e mostrar toda a dança que há dentro de si e a verdade que cada pessoa carrega ao se movimentar."


LIBRAS e Dança só tem como dar bom... e História e Dança também, tema da oficina de encerramento!


Confira a seguir:


Imagem: Samba - Heitor dos Prazeres - Óleo sobre tela

16/09/21 (Quinta) - 20h às 21h30

Mediação: Vitória Alves e Fernanda Conde.

Título: “Pelo telefone” mandaram avisar que Tia Ciata e Quelé tem samba pra contar.

Sinopse: O que Tia Ciata e Quelé têm a nos dizer sobre a história do samba? De maneira poética, brincante e dançada, esta oficina propõe-se a costurar passos do Samba de Gafieira, como o balanço e a trança, à fatídica presença de mulheres negras no nascimento de um ritmo genuinamente afro-brasileiro.


Vitória e Fernanda falam da importância em "gerar um espaço de discussão e reflexão, dentro da dança de salão, acerca da história do samba na perspectiva de mulheres negras que, ao longo de suas vidas, por conta das questões raciais e de gênero ainda não resolvidas na sociedade brasileira, não tiveram suas narrativas reconhecidas e/ou quando a tiveram foram minimizadas". Ainda acrescentam que "ao propor também uma vivência prática coletiva que mescla passos do samba de gafieira e acontecimentos históricos, a oficina resgata a memória não só dos registros acadêmicos encontrados sobre Tia Ciata e Quelé mas também do corpo, mostrando assim ser capaz de integrar teoria à prática, de construir novas memórias e gerar acessos de afeto pelo movimento".


Esse ciclo de compartilhamento tá tão lindo e curioso que dá até uma dorzinha falar que se encerra em apenas 5 oficinas.


Mas bora se envolver com a gente meu povo, para nos ajudar a sentir em parceria se nossas ideias e inventos tem potencial para alçar grandes voos, como também, possibilitar nosso crescimento e desenvolvimento como artistas. =]


E como a maioria sabe, somos um coletivo independente e nem sempre temos patrocínio para seguir com nossos projetos. Por isso, sugerimos uma contribuição simbólica para quem puder e quiser participar desse compartilhamento conosco.


ATENÇÃO: uma única inscrição, após confirmação da contribuição, dará acesso a todas as oficinas, aproveitem!


Valores:

Mínimo: R$ 25,00.

Ideal: R$ 50,00.

Abundante: R$ 100,00.

*Para valores acima de R$ 100, indique no campo "Outros" do formulário.


Formas de pagamento:

- Chave PIX:

doisrumos@gmail.com


- Transferência/TED:

Banco do Brasil

Ag.: 1540-7

C/C: 23515-6

Fernanda Conde

CNPJ: 20.206.219/0001-59


Para se inscrever é bem facinho:


Não esqueça que todas as oficinas são de maneira remota (online) e serão realizadas pela plataforma de reuniões Zoom.


A gente espera por vocês!

Posts Em Destaque
Posts Recentes